Fork me on GitHub

Keep Learning Conhecimento nunca é o bastante

Postado em
3 September 2009 @ 16:28

Tag(s)
Empreendedorismo, Mercado, Opinião

Seu chefe é incompetente? A ciência explica!

Pesquisas feitas na Universidade de Catania, na Itália, mostram que, quanto mais promoções, mais incompetente é o profissional. A pesquisa foi feita a partir do chamado Princípio de Peter, formulado pelo psicólogo canadense Laurence J. Peter, com a seguinte frase (original, em inglês): “Every new member in a hierarchical organization climbs the hierarchy until he/she reaches his/her level of maximum incompetence”.

A explicação é simples: no sistema de promoção por mérito, pessoas muito boas em dada especialidade são promovidas para outras áreas, para as quais podem ser menos aptas (claro, isso só ocorre quando a promoção leva o profissional a uma área em que suas habilidades atuais não são fundamentais). Dessa forma, cair nas garras do Princípio de Peter torna-se inevitável, levando a empresa a uma perda geral de eficiência ao longo do tempo.

A solução, segundo os cientistas, é reservar 50% das promoções para os piores profissionais da empresa – a chance de que eles “se encontrem” nos cargos aos quais são promovidos é muito maior.

Que desenvolvedor de software nunca topou com esse tipo de problema? Aquele cara, ótimo desenvolvedor, acaba sendo promovido à gerente (e aceita, seja pela grana, pelo status ou por falta de opção) e é simplesmente um zero à esquerda na função. É claro que isso acontece em qualquer área, mas é nesta em que eu tenho experiência.

Podemos tirar duas lições disso:

  • Se, por ser um ótimo desenvolvedor, você for agraciado com uma promoção para outra área, pense duas vezes antes de aceitar – isso pode significar o fim da sua carreira como profissional competente. Se a empresa não lhe der opção (é bem comum que só se consiga um aumento aceitando uma promoção-bomba dessas), procure outro lugar – quando você realmente é competente, escolhas não faltam.
  • Se você se tornar um empreendedor, primeiro busque ajuda especializada caso não se sinta à vontade com as tarefas necessárias nesse seu “novo cargo”. Você pode ser um ótimo designer com uma ótima ideia, mas isso não quer dizer que será um bom empresário. Além disso, pense bem na política de promoção que vai utilizar se a empresa for bem sucedida. Um exemplo: pode ser muito mais satisfatório recompensar os bons funcionários com melhorias salariais do que promovê-los a cargos para os quais eles não possuem aptidão.

6 Comentários

Comentário por
Tailor Fontela
3 September 2009 @ 17:18

Destinar metade das promoções para os piores profissionais, estranha essa dica, na pratica é dificl imaginar isso acontecendo e dando certo.


Comentário por
Lucas Húngaro
3 September 2009 @ 17:33

Sim, é bem estranho. Os prórios pesquisadores dizem que, apesar de ser essa a solução técnica, qual profissional aceitaria ver colegas com baixo desempenho sendo promovidos?

Na atual cultura corporativa, isso seria impraticável.


Comentário por
carlos
3 September 2009 @ 19:02

exemplos por favor, as meses tenho visto blogueiros postando sobre isso com bases apenas em teorias, exemplo de alguma pessoa q aconteceu isso e “acabou” com a carreira.
qualquer, por favor


Comentário por
Lucas Húngaro
3 September 2009 @ 19:08

Carlos, o estudo não foi teórico. Foram feitas várias simulações inclusive. Isso consta no estudo que linkei no post.

Note que a carreira da pessoa simplesmente não vai acabar. Geralmente acontece uma das duas coisas: ela continua subindo, mas vira apenas um empregado comum, sem o destaque de antes ou ela sai da empresa e volta a sua função anterior em outra.

E, garanto a você que conheço vários exemplos de pessoas que, ao serem promovidas, perderam seu valor diferencial na empresa. Mas é óbvio que, por razões éticas, não posso falar nomes.


Comentário por
Mariana
4 September 2009 @ 22:08

Eu li esse post e no dia seguinte me deparei com um artigo da super interessante falando sobre isso também :) ta na edição de setembro.



Deixe um comentário